Autor: Lindalva Silva Quintino dos Santos

DENTRO DOS OLHOS

  Ele a olhou bem dentro dos olhos era como olhar o fundo de um lago… De repente alguma coisa agitou aqueles olhos uma turbulência se formou e veio á tona Era como uma represa invadindo passando sobre as margens alagando Depois serenou-se aquietaram-se aqueles olhos Era de novo um lago… Profundo aqueles olhos… Lin Quintino »

ESQUECIMENTOS

Na velha palheta já não se renovam as tintas e os dias são de um opaco entristecer Já o reboco infiltrado de mofo e de saudades nas velhas trincas onde se escondem as lembranças A velhice dos móveis exalando passado recordam o brilho de mãos cuidadosas que entalhavam enredos Hoje, as tintas carcomidas pelo tempo endureceram o olhar de quem passa pela rua e vê a casa pintada de esquecimentos…... »

FEITA DE SONHOS

  De uma simplicidade fazia seus dias Era feita de sonhos e esperança E viajavam em seus olhos todos os caminhos e barcos À hora dos passarinhos deixava-se à varanda a ouvir as folhas segredando Deixava o vento sussurrar-lhe saudades de quem dos olhos vivia distante. Depois recolhia-se aos sonhos e se imaginava partindo Pra além da infância voltava ao tempo criança e a casa velha é paisagem n... »

SAUDADE

A saudade já começa a pesar-me sobre o peito Habituada à ausência sento-me no mais escuro do quarto e descanso os olhos Acolho o silêncio que se insinua nesta réstia de lua que entra pela janela e me deixo indiferente quando a solidão pousa de leve a mão no meu ombro neste ritual diário ao anoitecer…   Lin Quintino »

DENTRO DO MEU SILÊNCIO

Dentro do meu silêncio, conjugam-se desejos de um beijo de vontades… Perturba a fragilidade da minha saudade esta vontade agressiva dentro do meu silêncio… Do desejo de entrelaçar nossos corpos fecunda-se a vontade dentro desse silêncio os gestos permanecem adormecidos… Lin Quintino »

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Pular para a barra de ferramentas