EU LÍRICO

EU LÍRICO

Marcos Olavo

 

Foi no sabor do teu beijo que me queimei,

Num deserto de esperança.

Como sabeis morri, vivi longe de você

Naquele dia sombrio e cortante;

E pensava só em mim sem saber da tua dor.

 

Eu era egoísta pra perceber do teu amor,

Que era simples e amorosa no olhar;

Mas o amor desconhecia –

O meu coração não sabia disso;

Um amor perfeito que me oferecia

Nesse seu quarto enorme e estranho.

 

E foi quando quis ir embora,

Neste teu colo quente e único,

Um carinho assustador por hora,

A bela mulher que sabe do amor;

E o teu olhar se perde nesse dia

De longe vi desmoronar,

Fechando as portas da voz.

 

É saudade nesse dia outra vez,

Ainda percebo o erro…

Sim, foi desse jeito o coração sangrou,

Que o vento bateu em mim a noite

Gelando e matando minha vida.

 

Mas a decepção é bem assim –

De anos conhecido.

Nem sei explicar agora,

Nem sei caminhar nessa rua nossa,

Poderia mentir outra vez,

Da bela mulher que me fez chorar.

 

Porque lugares são estranhos e trazem lembranças;

E as caminhadas são dias escuros;

E assim me faço quem sou pra você

Do teu desprezo merecido,

No deitar da minha tristeza em dor,

A falar do meu dia sem você.

Leave a Reply

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Pular para a barra de ferramentas