filhos da dor

São os ossos expostos em cemitérios

São restos mortais dos filhos da dor

Dos jovens sumidos na madrugada

Extermínio cruel violência danada

O choro das mães o sofrer sem razão

Abandono do estado muita opressão

A vida tão frágil, eles vem sem perdão

Ceifando vidas dos pobres cidadãos

Nos casebres nos morros é só confusão

Vem chegando os fardados de armas na mão nem pergunta seu nome,

só corpos no chão Não importa a origem se é bandido ou peão

Á ordem é matá, diz a televisão É mais um na estatística da higienização

Ó elite cruel desta triste nação Falsos moralistas, canalhas, fascistas

Pregam pena de morte para nossos irmãos Que vivem nas ruas

Sem ter direito ao pão Desemprego medonho fome e miséria

Na mansão dos bacanas champanhes e caviar

O helicóptero de coca pra elite cheirar

Discutir o futuro que querem nos dá

Vem a ordem de cima pra prender e mata

Estes filhos da Pátria que querem lutar

Se opor ao sistema é querer confusão

Eles querem o povo na frente da televisão sendo conduzido a odiar

seus irmãos defender os bandidos do alto escalão Se a periferia soubesse da sua força

Enchia as ruas não seria tão trouxas Ia buscar seus direitos e patrão ia pra forca.

 

Meire Quadros

Leave a Reply

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Pular para a barra de ferramentas