Flores,Poesia e Mistério

Flores, Poesia e Mistério

A vida seguia melancólica e em diversos tons de cinza, faltava cores…

Os dias estavam todos iguais, rotina tediosa, um verdadeiro horror!

Precisava sair desse marasmo, encontrar uma atividade que me despertasse para a vida, criar, inovar… muitas ideias surgiram em minha mente, mas uma em especial despertou o meu interesse: Pensei em fazer um jardim, sim um jardim! Simples e colorido, como aquele que trago na memória, florezinhas delicadas e coloridas, cuidadas pelas mãos da Vovó, era encantador. Mas uma voz interior me fez voltar a razão, repetia a cada segundo:

– Você não tem espaço suficiente para realizar tal façanha!

Então resolvi…faria floreiras na calçada, elas dariam um charme e não só eu como também os vizinhos se alegrariam diante da novidade colorida. Duas floreiras de tijolos ficaram prontas, porém faltava o principal; as flores, faltava vida. Não poderia ser qualquer uma, tinham que ser especiais: simples, pequenas e coloridas. Ganhei de um amigo “mudinhas” de pequenas flores roxas, deslumbrantes e que se adaptaram muito bem ao novo local, mas ainda faltavam outros tons, flores rosas, brancas para com elas contrastar, iria escolher com muita calma. Numa tarde tranquila, quando lia um novo livro, a campainha tocou, corri atender a porta e me deparei com um homem moreno, sorridente, de palavras e gestos muito educados, segurava em suas mãos algumas mudas de flores, algumas com botões pequeninos, que roubavam a cena, o momento foi mágico e acolhedor, em seguida ele me disse:

– Aceite-as, são suas… deixarão a sua vida mais alegre, perfumada e colorida!

Agradeci, estava muito feliz é claro, mas fiquei a pensar, quem seria esse homem e de onde viriam essas flores, e porque fui eu a contemplada?

E o gentil cavalheiro, continuou vindo prestigiar as minhas floreiras, sempre trazia espécies diferentes, eu aceitava, não o questionava e ele partia feliz.

As plantinhas cresciam dia a dia e minhas “retinas sorriam” diante de tanta beleza. O tempo passou e numa manhã sob o sol majestoso, os pássaros cantavam, faziam um verdadeiro espetáculo matinal, sobre a árvore em frente à minha janela, infelizmente eles acabaram sendo testemunhas de um fato estranhíssimo… eu estava radiante e lá fui eu cuidar das minhas florezinhas, que grande susto!

Foram instantes angustiantes, misturados com revolta, perplexidade e muita tristeza, o que significava aquilo, quem teria feito tamanha malvadeza?

A terra estava revirada, folhas e flores caídas no chão e faltavam algumas mudas…socorro, estava sendo roubada!

E o fato aconteceu durante a noite ou talvez na calada da madrugada. Passei a vigiar constantemente, precisava descobrir quem estava fazendo isso.

E, eis que, o dia da descoberta, o dia da revelação chegou, diante de tal visão, meus olhos e mente em pânico se recusavam a acreditar!

Ali estava ele, com algumas “mudinhas” em suas mãos, sorriu e me disse calmamente:

– Estou em missão, outra pessoa carente e solitária, está vivendo dias cinzas, dias tristes, desculpe-me não lhe pedi permissão, mas não posso deixar a situação como está, as suas flores com ela preciso compartilhar!

E assim o Florista Misterioso partiu, deixando para trás um rastro de beleza, paleta de cores sem igual, perfumou e me encantou…seguiu doando amor! Semeando, florescendo, colorindo e enriquecendo os jardins da vida

 

 

 

By lila
....

1 Comment

  1. Genial

Leave a Reply

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Pular para a barra de ferramentas