MEL ALUCINÓGENO

Sentir tuas mãos
Tirando-me a roupa,
Com açodamento,
De forma voraz.
Como quem tem fome
De devassidão.
Quero alimentar-te
Com meu corpo quente.
Dar-te todo o mel
Que emana de mim.
Meu mel é gostoso,
Tem um sabor ímpar,
Mas toma cuidado,
Pois é viciante
Vai escravizar-te
Causar dependência,
Não saberá mais
Viver sem meu corpo,
Hás de desejá-lo
Qual o ar de respiras.
Não suportarás
Ficar longe dele.
Serei teu senhor
Roubarei teus sonhos
E teus devaneios.
Lascivo vampiro,
Vem abastecer-te
Do meu que há em mim.
Há sempre uma dose
De mim para ti.
Aquece meu corpo
Com teus lábios quentes.
Com beijos ardentes
Da cabeça aos pés.
Faze de meu corpo
O teu território
De cada pedaço
Propriedade tua.
Vem, come meu mel,
Até te fartar.
Mas de seu sabor
Nunca cansarás
Mesmo que demore,
Sempre hás de voltar.
Meu mel tem feitiço
Vai prendê-lo a mim.
Pensarás que és dono.
Mas serás vassalo
Mais um que prendi,
Mais um dependente
Do mel da luxúria.

1 Comment

  1. Parabéns

Leave a Reply

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Pular para a barra de ferramentas